Qual o baixo mais caro do mundo?

E então, qual o baixo mais caro do mundo? O Luthier alemão Jens Ritter tem sido conhecido por fazer instrumentos de alta qualidade, mas agora ele extravasou de vez. Seu mais novo modelo chamado de Flora Aurum foi vendido em Las Vegas por nada mais e nada menos que 250 mil dólares em Las Vegas. O varejista é dono de uma joalheria chamada de Wynn & Co. Tornando assim o baixo mais caro do mundo.

Detalhes e a história do baixo mais caro do mundo

The Ritter Royal Flora Aurum pode ser seu por $250.000

O luthier alemão costuma fazer baixos por um preço mínimo de 6. 000,00 dólares, o que não deixa de ser um preço bem salgado em todos os casos. Afinal de contas, seus baixos caros são feitos com algumas das mesmas técnicas usadas para fazer os violinos  Stradivarius.

Certo dia um cliente seu insatisfeito com seus  instrumentos “normais” pediu-lhe para que ele fizesse um instrumento diferente de todos os outros. Se não fosse por esse cliente talvez nunca teria surgido esse baixo exuberante. The Ritter Royal Flora Aurum como é chamado, tem um corpo esculpido por uma peça rara e sólida de maple, uma pestana pré-histórica com mais de 10 mil anos de marfim de mamute. Enquanto a sua escala é decorada com pedaços de ouro de 24 quilates formando um mosaico em forma de flores. E para completar, há um diamante negro fixado em platina em cada folha para finalizar a decoração. Mesmo a ponte, os knobs, e outros botões são moldados com ouro. Os Knobs para ficarem ainda mais luxuosos são cobertos por brilhantes diamantes cortados (3,3 quilates no total). Depois disso tudo, não teria como não ser o baixo mais caro do mundo.

Ao finalizar o instrumento, o luthier avaliou o seu valor em $100,000.

Na verdade, Ritter começou como mais um músico que não podia pagar seus próprios instrumentos, então ele comprava guitarras quebradas e as consertava. Então se perguntou se ele mesmo conseguiria pegar um pedaço da madeira e tranformar em uma guitarra.  “Quando terminei não fazia idéia se eles eram bons”, ele disse. Na verdade, sua primeira “venda” foi uma troca de um de seus instrumentos por uns reparos na chaminé.

Ritter agora faz cerca de 60 instrumentos artesanais a cada ano, clientes como Doug Wimbish, para a banda de Madonna e The Grateful Dead Phil Lesh … acho que depois disso tudo ele não precisa mais limpar chaminés.

The Ritter Royal Flora Aurum:

E o que vocês acharam sobre o baixo mais caro do mundo? comentem!

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− dois = 2