Os melhores bateristas do rock de todos os tempos

melhores bateristas do rock de todos os temposFala galera! Chegou a nossa vez agora de criarmos um ranking de bateras. Vamos fazer uma lista que vai variar desde o rock n roll das antigas quanto para o metal e prog em geral. Na minha opinião, quando se fala de “os melhores bateristas” – pode ser considerado um dos rankings mais fáceis de se cometer alguma injustiça.Primeiramente o baterista normalmente não tem tanta badalação quanto a um guitarrista ou vocalista, segundo, a popularidade de sua banda conta muito. Por isso, normalmente os bateristas das bandas mais badaladas que ficam mais visados do que bateras de carreira solo.

Já vi muitos rankings por aí e a maioria tende a cair no clichê, visando somente a popularidade do músico. É claro tudo é subjetivo, e cada um tem o seu senso de o melhor, e é saudável você concordar ou não com algumas coisas. Também gostaria de salientar de que não se trata apenas dos bateristas mais rápidos, mais técnicos e com mais skills,  trata-se de toda uma conjuntura de genialidade e contexto para sua época, feeling e contribuição para a música conta muito! E claro, gosto pessoal conta muito 😉 Vamos conferir!

Os melhores bateristas do rock de todos os tempos

37. John Densmore

Vou começar a lista com um número ímpar, para quebrar esse paradigma. John Densmore era o baterista do The Doors, e isso por si só já seria o suficiente para merecer um grande respeito por parte de todos nós. Seus pontos fortes eram o feeling e a criatividade. Nem toda nota era tocada no tempo certo, mas isso era um dos fatores que o tornou tão bom.

Banda/Grupo: The Doors

36. Sandy Nelson

Sandy Nelson foi um baterista dos anos 50, e é um cara que inspirou uma geração de bateristas. Seu estilo fluente e marcante soa muito bem até mesmo nos dias de hoje. Sua carreira basicamente foi solo.

Banda/Grupo: Carreira Solo

35. Van Romaine

Van Romaine é um baterista multitalentoso e tem provado ser um dos melhores bateras da atualidade. Habilidade não lhe falta, incluindo velocidade, criatividade e outros recursos que um baterista precisa ter. Ele é o grande baterista de Steve Morse, além de tocar em free sessions.

Banda/Grupo: Steve Morse, Sessions

34. Charlie Watts

O estilo de Charlie faz com que soe quase que fora do tempo (no bom sentido), mas não é. Ele coloca as notas tanto no limite da batida quanto puder, produzindo uma sensação realmente animada. Ele é o coração das músicas dos Stones, suas levadas faz você entender o espírito dos Rolling Stones.

Banda/Grupo: The Rolling Stones

33. Carter Beauford

Umas coisas que faz dele ser um grande baterista é o uso de intrincadas levadas e habilidade de tocar diversos estilos. Seu trabalho no prato de condução e no hi-hat  é impressionante conforme ele conduz para fora e para dentro da batida da música.

Banda/Grupo: Dave Mathews Band, Santana

32. Randy Castillo

O falecido Randy Castillo foi um dos grandes showmen do rock, e foi um dos mais talentosos a tocar com o Ozzy. Foi um baterista brilhante de sua geração, sabendo conduzir muito bem as batidas e dando alma às músicas enquanto tocava com Ozzy Osbourne. Ele também tocou em bandas como Lita Ford, Red Square Black.

Banda/Grupo: Ozzy Osbourne, Lita Ford, Red Square Black

31. Steven Adler

Mais conhecido como baterista do Guns N ‘Roses na década de 80, a tocabilidade de Steven era sólida e envolvente. Ele tornou-se uma baterista ícone do Hard Rock.

Banda/Grupo: Guns N’ Roses

30. Clive Bunker

Clive tocou bateria para o Jethro Tull por volta na década de 60, e tinha semelhanças com tanto com Carmine Appice quanto com John Bonham. Ele saiu da banda em 1971 para estar com sua família, mas sua curta contribuição teve um enorme impacto para sua época.

Banda/Grupo: Jethro Tull

29. Mike Mangini

Esse cara já fez vários trabalhos e além de tocar também em bandas como o Extreme e o guitarrista Steve Vai. É um baterista incrivelmente rápido, 3 dos 4 recordes mundiais de velocidade na bateria são dele. Mas ele é ótimo também em outros recursos é claro.

Banda/Grupo: Extreme, Steve Vai, Sessions

28. Gregg Bissonette

Gregg Bissonette é um batera que manda muito bem no Jazz, Swing e Funk, mas seu lado roqueiro  ao lado de músicos como David Lee Roth e Steve Vai, entre outros, mostra toda a sua versatilidade! E excelente técnica também.

Banda/Grupo: David Lee Roth, Sessions

27. John Weathers

John Weathers é mais conhecido por ser o bateria da banda de rock progressiva Gentle Giant. Além é claro na sua habilidade na bateria, ele é um cara de múltiplas faces nos shows, confiram no YT e vocês vão saber hehe.

Banda/Grupo: Gentle Giant

26. Christian Vander

Esse cara é fera demais, Vander tocou na banda de Rock Progressivo (ou assim rotulado) chamada de Magma. É uma baterista muito técnico e virtuoso, e seus solos são um espetáculo a parte.

Banda/Grupo: Magma

25. Clive Burr

Clive Burr foi baterista do Iron Maiden nos seus três primeiros álbuns. Ele foi brilhante ao combinar a bateria com a guitarra da banda e com os riffs de baixo, e tinha um estilo cru e poderoso.

Banda/Grupo: Iron Maiden

24. Brann Dailor

Ele não é muito conhecido aqui no Brasil, mas ele demole. Ele é da banda de metal Mastodon, o cara vem recebendo muito reconhecimento como baterista da nova geração. Muito habilidoso ao combinar elementos do Jazz e do Prog ao Metal. Fills velozes e legais são a sua marca registrada, com certeza um dos melhores bateras do rock da atualidade.

Banda/Grupo: Mastodon

23. JoJo Mayer

Ele começou no Jazz, mas atualmente mudou-se para a selva do Rock. Jojo já fez um grande nome para si mesmo como sendo um músico muito técnico e refinado. Não é à toa que tem admiração no mundo inteiro.

Banda/Grupo: Nerve, Sessions

22. Lars Ulrich

Tá bom eu reconheço que pode ser um exagero qualificá-lo até aqui, mas ele arrebentava. Ele não era dos bateristas mais complexos, mas ele sabia muito bem conduzir os ritmos com uma boa dose de misturas e técnicas para as músicas do Metallica. Muitas vezes usando single strokes e kick duplos na bateria para criar tais efeitos.

Banda/Grupo: Metallica

21. Nicko McBrain

Eu aprecio por demais o seu trabalho no Iron Maiden e a sua precisão e as suas levadas fazem parte de uma das principais bandas de todos os tempos.

Banda/Grupo: Iron Maiden, Pat Travers, Streetwalkers, Trust

20. Chad Wackerman

O fato de que Chad já tocou com gente como Frank Zappa e Steve Vai já mostra o quão bom ele é. Sua técnica, resistência e independência é fora do comum – para não mencionar a sua levada e estilo.

Banda/Grupo: Frank Zappa, Steve Vai, Sessions

19. Matt Cameron

Um som funkiado, puxado para o Led Zeppelin, e uma boa ajuda de notas mortas e estranhas mudanças de tempo, esse é o grande Matt Cameron. Combinando a dinâmica e levadas profundas, com certeza um dos melhores bateras da atualidade.

Banda/Grupo: Soundgarden, Pearl Jam, QOTST, Skin Yard, Wellwater Conspiracy.

18. Virgil Donati

Esse australiano toca muito! Além de muito técnico e com boa pegada, seus estilo é preciso e cheio de ideias. Ele é uma dessas pessoas que faz as coisas parecerem ser fáceis. Ele já foi baterista do Steve Vai e Planet X.

Banda/Grupo: Planet X, Steve Vai

17. Scott Travis

Ele é simplesmente o cara que toca a monstruosa introdução de Painkiller! Ele é um baterista que influenciou uma geração de bateristas a tocar o pedal duplo, sem deixar de mencionar o seu estilo implacável.

Banda/Grupo: Judas Priest, Racer X

16. Jaki Liebezeit

Era o baterista da banda alemã CAN, um rock experimental dos anos 70. Talvez um baterista underrated, mas vale a pena dar uma pesquisada.

Banda/Grupo: CAN

15. Phil Ehart

Clássico, pesado e de bom gosto. Talvez esta é uma de seus melhores qualidades. Com uma tocabilidade sólida e rápida enquanto foi baterista do Kansas.

Banda/Grupo: Kansas

14. Mitch Mitchell

Mitch combinou a guitarra de Jimi Hendrix com seus reflexos rápidos na bateria e rolos de trovões. Ele trouxe uma sensibilidade do Jazz ao Rock para improvisar e responder a guitarra de Hendrix a cada momento. Ele era muito criativo e tinha um feeling sublime.

Banda/Grupo: Jimi Hendrix

13. Nick Menza

Velocidade, intensidade e paixão foram os elementos que o Nick trouxe ao tocar no Megadeth, um encaixe perfeito. Com batidas devastadoras, fills, e grande habilidade no bumbo duplo.

Banda/Grupo: Megadeth

12. Mike Giles

Um dos bateristas ícones do Rock Progressivo, Mike foi o grande baterista do King Crimson. Sua linha era muitas vezes hipnotizante com sua diversidade sonora durante as canções. Mas é na banda Giles, Giles & Fripp que eu mais aprecio o seu trabalho.

Banda/Grupo: King Crimson, Giles, Giles & Fripp

11. Dave Lombardo

Dave é explosivo, talvez o baterista que melhor represente o metal extremo com a suas levadas infernais. Parece que ele tem baldes de energia na hora de tocar suas composições, fills criativos e surpreendentes.

Banda/Grupo: Slayer, Voodoocult, Apocalyptica

10. Simon Phillips

Simon já tocou em bandas como Toto, The Who, Whitesnake, Judas Priest, enfim, curto pra caramba suas levadas e a sua forma de tocar e o jeito de sentir a música. Um dos melhores bateristas de sua época.

Banda/Grupo: Toto, The Who, Whitesnake, Judas Priest

9. Rod Morgenstein

Esse baterista eu acho muito encardido. Ficou conhecido ao tocar junto com o Winger, uma banda de Glam/Hard Rock anos 80.  Posteriormente a isso ele tocou no Dixie Dreggs, um banda de Jazz-Fusion, um baterista brilhante.

Banda/Grupo: Dixie Dreggs, Winger

8. Danny Carey

Fundador da banda Tool, Danny trouxe uma variedade de polirritmias para o som da banda. Com levadas sólidas, criatividade e rolos impressionantes fazem dele um espetáculo a parte. Se você não conhece ele, vale a pena dar uma pesquisada.

Banda/Grupo: Tool, Pigmy Love Circus, VOLTO!, Green Jelly

7. Mike Portnoy

Mais conhecido como o baterista do Dream Theater. Talvez o baterista de Rock/Metal mais aclamado da história ao lado de Neil Peart. Na sua geração, Mike Portnoy trouxe as técnicas e complexidades a um outro nível para o rock em termos de bateria. Muitas vezes, ele roubava a cena de em vez das pessoas se concentrarem nas músicas, ele fez com que elas se concentrassem na bateria.

Bandas/Grupos: Dream Theater, Liquid Tension Experiment, Neal Morse, Yellow Matter Custard, OSI

6. Terry Bozzio

Seu modo de tocar junto com os gigantes da música como Frank Zappa já seria motivo suficiente para colocar Terry aqui nesta lista, mas suas composições próprias de bateria em seu enorme kit de bateria com técnicas assassinas, velocidade, musicalidade, dinâmica e criatividade justificam ainda mais a sua posição aqui. Ele tem tudo.

Banda/Grupo: Frank Zappa, Solo Artist, Sessões

5. Ginger Baker

Ginger era o baterista do Cream, e foi pioneiro ao introduzir o bumbo duplo no Rock. Com seu jeito particular de tocar, fazia as coisas parecerem fáceis e simples, no entanto, ele dava as músicas exatamente o que elas precisavam. Sua técnica sublime do Jazz contribuiu ainda mais para a evolução e a introdução do bumbo duplo ao Rock.

Banda/Grupo: Cream, Blues Incorporated, Ginger Baker’s Air Force

4. Keith Moon

Ele não era tecnicamente brilhante. Ele não foi surpreendente nem preciso. Mas, ele era totalmente original e veio com um estilo e um som que rompeu fronteiras. Ele não usava o chimbau (muitas vezes), e não tocava batidas convencionais, mas ele sabia usar de forma original todo o kit de sua bateria e trilhava de forma diferente para chegar onde quer que precisasse chegar na sua música.

Banda/Grupo: The Who

3. Carl Palmer

Carl Palmer inspirou uma geração inteira de bateristas. Um dos aspectos interessantes dele é que ele usava a sua formação refinada da música clássica para criar efeitos interessantes na percussão. Considerado por muitos como o melhor baterista da Grã-Bretanha de todos os tempos.

Banda/Grupo: Emerson, Lake & Palmer, Asia, Atomic Rooster

2. John Bonham

Esse cara meio que ensinou a todos nós como tocar de forma pesada, e poderosa na bateria. Suas técnicas nos bumbos eram impressionantes, ele é um dos deuses do rock na percussão e representou com emoção toda a sua musicalidade.

Banda/Grupo: Led Zeppelin, Band Of Joy, Terry Web & The Spiders

1. Neil Peart

Claro que não é uma opinião unânime, mas Neil Peart está em primeiro em muitos rankings por aí. O baterista do Rush demonstrou uma capacidade técnica extraordinária, assim como a musicalidade, criatividade, levada e sentimento. Seus solos e fills inspirou inúmeras gerações de bateristas e até nos dias de hoje. Eu acho justo a sua colocação no topo da lista.

Banda/Grupo: Rush

Bateras brasileiros

Brasucas que merecem todo o nosso respeito

1. João Barone

Esse é um cara que curto demais o estilo dele de tocar, ele entra tranquilo em uma lista dos melhores bateras da América Latina. Muito rápido quando quer e refinação técnica muito boa de se ouvir.

Banda/Grupo: Paralamas do Sucesso, outros

2. Aquiles Priester

Aquiles é o grande destaque no Brasil em termos de Heavy Metal, coordenação, independência e pedais duplos nervosos são algumas de suas marcas. Uma fonte de inspiração entre muito bateristas iniciantes.

Banda/Grupo: Angra, outros

3. Ivan Busic

Baterista genial, Ivan já fez inúmeros projetos e participações mas acho que mais deixou ele conhecido foi por ter sido baterista do Dr. Sin. Baterista versátil e muito técnico com influências do Jazz, Blues e Country.

Banda/Grupo: Supla, Dr. Sin, Ultraje a Rigor, outros

Outros nomes que não podem ficar de fora: Ricardo Confessori (Angra), Max Kolesne (Krisiun, pela velocidade), Alexandre Aposan (G3 e outros projetos), Igor Cavalera (ex-Sepultura).

Então é isso galera, espero que tenham curtida essa matéria sobre Os melhores bateristas do rock de todos os tempos.

Fontes: Totaldrumsets, Drummerworld, Batera

Comentários

  1. Adriano diz

    É faltou o baterista da banda calipso nessa lista de merda

    Cadê o The Rev?
    Cadê o John Dolmayan
    Cadê o Joey Jordison?
    Cadê o David Silveria?

    seu fanfarrão

    • Luís diz

      Fiquei pensando o mesmo aqui man! Como alguém faz uma lista de melhores bateras e deixa o Vinnie Paul de fora?!
      Em contrapartida achou lugar pra colocar o vôvô da batera morna do Rolling Stones.
      Sem contar a parte dos bateras Brazucas que fez uma mera menção ao Igor Cavalera, que é um dos melhores bateristas do país, e o que tem mais destaque internacional de todos os bateras brasileiros.
      E COMO, POR DEUS, VOCÊ DEIXOU DAVE GROHL DE FORA DESSA LISTA?!

      SACRILÉGIO ISSO AÊ HEIN!

  2. Marcio Alencar diz

    INjustica nao por o Travis Barker ai heim… o cara toca d+, apesar de nao ser conhecido pelo blink-182… o cara usa muito bem a bateria…

  3. Anônimo diz

    Oi, meu nome é Dave Grohl. Fui um dos bateristas mais influentes da minha época, fiz parte de uma das maiores bandas dos anos 90, Nirvana, e meu nome não está na lista! rs.
    Sinceramente cara, faltou o nome de muita gente fera na bateria nessa sua lista.

    • Beto Krepsky diz

      Realmente Pedro, endosso isso que você falou, Kiko Freitas manda muito bem na musicalidade (grande domínio de vários ritmos), fica ai a dica para a galera!

  4. Junior K diz

    Faltou na lista dos melhores bateristas brasileiros o nome de Ricardo Confessori, ex-Shaman e ex-Angra, que é hj um dos melhores ou até mesmo o melhor das Américas.

  5. Beto Krepsky diz

    Nomes faltaram é claro, mas isso não significa que os outros foram esquecidos, a minha intenção não foi de fazer uma lista dos 100 ou 250 melhores bateristas. Tenho todo respeito aos demais nomes.

    Joey Jordison e Dave Grohl obviamente conheço e curto o trabalho deles, e eu tinha certeza que seus nomes seriam ressentidos nesta lista. Temos que por os pingos nos “i”, uma coisa é ser Influente, a outra é apresentar alguma técnica ou musicalidade muito fora da vírgula para ser considerado entre os “37” de todos os tempos.

    Num ranking de bateristas influentes com certeza irei colocá-los (especialmente o Dave), mas fora de sua influência, até agora eu vi mais oponiões de fãs do que argumentos propriamente ditos. Mas respeito a opinião de cada um, e ele deve ser mútuo.

    Grande abraço a todos.

    • Luís diz

      Então diz aí, qual foi a “técnica ou musicalidade muito fora da vírgula para ser considerado entre os “37″ de todos os tempos.” que você viu no Charlie Watts?

    • Victor diz

      Cara, joey jordison pode até não ter adicionado muito em questão de inovação, mas Dave Grohl é uma das grandes inspirações em termos de bateria desde os anos 90, e não é pelo fato de ter sido pop.
      Ele tem muitas qualidades e tem muita criatividade, tem um estilo simplista porém muito potente. O bumbo dele é muito rápido e pesado e tem uma marcação quase perfeita, pode reparar isso nas faixas do ”songs for the deaf” do QOTSA. Ele inovou e muito na bateria.
      A potência dele nos discos do Nirvana (com excessão de bleach e algumas musicas do incesticide pois ele não era o baterista), no primeiro do foo fighters, e em outros projetos como o probot, o songs for the deaf e o atual Them Crooked Vultures prova que ele merecia estar nesta lista.
      Outro baterista que merecia muitos mais estar entre estes é Buddy Rich. Buddy rich está para bateria assim como Chuck berry para guitarra.

      • Victor diz

        Igor Cavalera e Phill Collins também mereciam estar na lista. Lars Ulrich na minha opinião só poderia estar nesta lista se fosse em ultimo. Ele contribuiu sim para as músicas do Metallica , mas no mesmo quesito que ele há muitos outros melhores.
        Na minha opinião, Lars gera influência muito mais pelo fato de estar no Metallica do que por suas contribuições ”baterísticas”.

  6. Érico diz

    Tá faltando gente aí cara, Joey Jordison, Vinnie Paul, Michael Bland e mais que citari, além do fato de que se vc fala de bateria e num fala de Gene Krupa e Buddy Rich tá vacilando,pq eles são a orgiem e a quintessência do instrumento. Mas a lista tá mt boa!

  7. Eric Kamikaze diz

    Eu concordei com a lista, mas ainda trocaria o Carl Palmer pelo John Bonham.

    Aos que criticaram a lista ou não são bateristas ou não conhecem quem realmente toca, nego chorando pq não teve o Joey Jordison (baterista simples de metal, mas colocaria no lugar do Lars fácil hahaha).

    Eu ainda colocaria entre os 10, para mim, o Horacio “El negro” Hernandez (procurem Rumbateria no Youtube pra ver uma das melhores apresentações de ritmos latinos), o Thomas Lang e em segundo o Bobby Jarzombek (o primeiro pra mim sempre será o Peart!). Mas gostei da lista!

    Abraços

  8. Eric Kamikaze diz

    Eu concordei com a lista, mas ainda trocaria o Carl Palmer pelo John Bonham. E adicionaria o Bill Bruford nesses 5 primeiros ae!

    Aos que criticaram a lista ou não são bateristas ou não conhecem quem realmente toca, nego chorando pq não teve o Joey Jordison (baterista simples de metal, mas colocaria no lugar do Lars fácil hahaha).

    Eu ainda colocaria entre os 10, para mim, o Horacio “El negro” Hernandez (procurem Rumbateria no Youtube pra ver uma das melhores apresentações de ritmos latinos), o Thomas Lang e em segundo o Bobby Jarzombek (o primeiro pra mim sempre será o Peart!). Mas gostei da lista!

    Abraços

  9. Azamat Bagatov diz

    Prá começar a brincadeira, faltam Stewart Copeland e Ian Paice, dois que deviam estar entre os cinco melhores. Eles não estarem entre os 37 melhores entrega uma coisa: você não entende nada de bateria. Cadê Gene Hoglan? Tá loco, meu…

  10. Thomas diz

    faltou mesmo o joey do slipknot a possisao do baterista do dream theater foi injusta tbm mais o cara fala ali que faltou o baterista do nirvana pelo amor de deus de que maneira o o nirvana é uma das melhores bandas dos anos 90 por favor o cara era tao ruim q ele proprio se matou dos brazucas akiles o melhor

  11. Luciano Navarro diz

    Toda lista é burra. Mas precisa ter alguma coerência. Tem Lars mas não tem Ian Paice ? só posso acreditar que foi um tremendo esquecimento.

  12. Ricky Elric diz

    Olha meu amigo, eu não entendo tanto assim de bateria mas eu realmente acho que o Ian Paice (Deep Purple) merecia um lugar nesse ranking, sem dúvida nenhuma, pelo seu estilo, seu poderio, acho que merecia estar ai sim…
    Espero uma resposta só para saber a sua opinião quanto a ele ^^
    Abraço…

  13. Mauricio diz

    Toda lista tem suas controvérsias…digamos que acho essa 70% certa…….Mas discordo completamente de John Bonham em segundo…ele foi o ápice da bateria………

  14. ricardo diz

    Bom brother, sou baterista e percussionista a 25 anos, a minha formação e de percussionista sinfônico!
    Eu também vim de uma escola que sempre apreciei, que o rock’n roll e obviamente tocando e vivenciando sempre os ritmos brasileiros, na verdade quando se fala de bateristas brasileiros, nunca se deve esquecer dos maravilhosos Robertinho Silva, Pascoal Meireles, Edgar Rocca ( Bituca), o famoso Picolé, o Paulo Braga, o Carlos Bala, obviamente o Kiko Freitas ( hoje considerado pra mim o melhor) e o nosso grande batera de puro rock da década de 70 o Sérgio Delamonica (esse batera e do bicho, ele tem a capacidade de unificar os grooves sintonizados tocando o puro rock e misturando alguns ritmos brasileiros como samba só fazendo algumas acentuações muito especiais … Do kaaaraiu, muito bom!!! Procura ouvir pra tu sentir a onda …. A parada e muito seria brother!!!, fica aqui uma dica pra quem nao saca, vlw???

  15. leandro diz

    Com todo respeito, mas uma lista sem Bill Bruford não pode ser levada a sério.
    Eu colocaria o Palmer em primeiro e Bill em segundo, o que vier depois esta de bom tamanho.
    Nick Mason também merecia ser lembrado, tocava simples mas de extremo e refinado bom gosto.

  16. Fernando diz

    Foi uma boa lista. Mas com certeza se acrescentar os bateras de Jazz, não sobra 1 desta lista. rs. Não dá para competir.

    Mas tiraria o Lars … hoje então… nem sombra dele mesmo.
    Faltaram os bateras do Fishbone, Primus, Anthrax, Living Colour…

  17. roberto diz

    Faltou o John Boham doLed Zeppelin, e nos nacionais faltou o baterista do golpe de estado, que foi da Rita Lee também, nao me lembro o nome. E ainda o Baterista do |B lack Sabath. Além daquele franzino baterista do Jimi Hendrix.

  18. Luba diz

    Concordo plenamento com o Azamat Bagatov, só pode ser esquecimento. quanto aos nacionais, fala sério!? o “Bala” e o Robertinho Silva… é sacrilégio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


5 + = catorze