Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Introdução

Bom pessoal, dando continuidade aos recentes artigos sobre construção de solos, vamos falar um pouco sobre Modos de Menor Melódica. É um assunto bem abrangente, mas tentarei condensar o mais importante, de modo a facilitar seu entendimento nos estudos de teoria musical.

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 1 e 2

Há duas escalas conhecidas pelo nome de menor melódica: uma é a tradicional, que altera a sexta e sétima notas na subida mas não as altera na descida; a outra é a menor bachiana, que sobe e desce com as alterações. Veja no Ex. 1 uma frase tocada na escala de A menor melódica tradicional sobre o acorde de Am. No Ex. 2 encontra-se uma frase feita com a escala de A menor bachiana sobre o acorde Am(maj7).

Modos de Menor Melódica
Exemplo 1
Modos de Menor Melódica
Exemplo 2

Da mesma forma que fizemos com as escalas anteriores, é possível fazer rotações da escala menor melódica para obter as sonoridades diferentes de cada grau da escala. Para essas rotações, utilizaremos a escala menor bachiana em vez da menor melódica tradicional.

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 3 e 4

Na primeira rotação da escala de C menor bachiana, encontramos D como fundamental, resultando na seqüência D, Eb, F, G, A, B, C e D. Se compararmos essa escala com a estrutura dos modos eclesiásticos, podemos chamá-la de dórico com 9m (também chamada de frígio com 6M). O Ex. 3 mostra que ela tem as mesmas notas da escala de C menor bachiana, mas organizadas a partir da segunda nota, com os seguintes intervalos: F-2m-3m-4J-5J-6M-7m. Essa escala é usada sobre o acorde menor com sétima menor ou sobre um acorde sus7b9 gerado sobre o grau II de uma tonalidade menor bachiana. O Ex. 4 traz uma frase que utiliza essa escala com a fundamental em C, sobre o acorde Csus7/79, grau ll da tonalidade de Bb menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 3
Modos de Menor Melódica
Exemplo 4

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 5 e 6

Na próxima rotação da escala de C menor bachiana obtemos Eb como fundamental, resultando na seqüência Eb, F, G, A, B, C, D e Eb. Se compararmos essa escala com a estrutura dos modos eclesiásticos, podemos chama-la de lídio com 5A. Observe no Ex. 5 como ela tem as mesmas notas da escala de C menor bachiana, mas dispostas à partir da terceira nota. Os intervalos são: F-2M-3M-4A-5A-6M-7M. Essa escala é usada sobre o acorde aumentado com sétima maior do grau III de uma tonalidade menor bachiana. O Ex. 6 mostra uma frase em lídio com 5A com a fundamental Ab, sobre o acorde Abmaj7(#5), grau III da tonalidade de F menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 5
Modos de Menor Melódica
Exemplo 6

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 7 e 8

Fazendo outra rotação da escala de C menor bachiana, chegamos a F como fundamental e à seqüência F, G, A, B, C, D, Eb e F. Se compararmos essa escala com a estrutura dos modos eclesiasticos, podemos chamá-la de lídio çom 7m (também chamada de mixolídio com 4A). O Ex. 7 revela que ela tem as mesmas notas da escala de C menor bachiana, mas com os seguintes intervalos: F-2M-3M-4A-5J-6M-7m. Essa escala é usada sobre o acorde maior com sétima menor do grau IV de uma tonalidade menor harmônica. O Ex. 8 mostra uma frase nessa escala com a fundamental D, sobre o acorde D7#11, grau IV da tonalidade de A menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 7
Modos de Menor Melódica
Exemplo 8

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 9 e 10

Na próxima rotação da escala de C menor bachiana, obtemos G como fundamental, resultando na seqüência G, A, B, C, D, Eb, F e G. Se compararmos essa escala com a estrutura dos modos eclesiásticos, podemos chamá-la de mixolídio com 13m. Note ao Ex. 9 como ela tem as mesmas notas da escala de C menor bachiana, organizadas a partir da quinta nota, com os seguintes intervalos: F-2M-3M-4J-5J-6m-7m. Essa escala é usada sobre o acorde maior com sétima menor do grau V de uma tonalidade menor bachiana. O Ex. 10 traz uma frase que aplica essa escala com a fundamental C, sobre o acorde C7( b13), grau V da tonalidade de F menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 9
Modos de Menor Melódica
Exemplo 10

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 11 e 12

Em outra rotação da escala de C menor bachiana, encontramos A# como fundamental, resultando na seqüência A, B, C,D, Eb, F, G e A. Se compararmos essa escala com a estrutura dos modos eclesiásticos, podemos chama-la de lócrio com 9M. O Ex. 11 contém esse modo, com as mesmas notas da escala de C menor bachiana, mas a partir da sexta nota. Os intervalos mudam para F-2M-3m-4J-5D-6m-7m. Essa escala é usada sobre o acorde meio diminuto gerado no grau VI de uma tonalidade menor bachiana. O Ex. 12 mostra uma frase de lócrio com 9M com a fundamental em A, tocada sobre o acorde Am7(/15), grau VI da tonalidade de C menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 11
Modos de Menor Melódica
Exemplo 12

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Exemplo 13 e 14

Na última rotação da escala de C menor bachiana, chegamos a B# como fundamental, resultando na seqüência B, C, D, Eb, F, G, A e B. Ela pode ser chamada de escala alterada (conhecida também como superlócrio). No Ex. 13, note
que ela tem as mesmas notas da escala de C menor bachiana, mas partindo da sétima nota, de acordo com os seguintes intervalos: F-2m-3m-4D-5D-6m-7D. Nessa escala ocorre a enarmonização do intervalo de quarta diminuta para uma terça maior. A vantagem dessa troca enarmônica é que você pode aplicar essa escala sobre um acorde maior com sétima menor e quinta diminuta. O Ex. 14 mostra uma frase baseada na escala alterada de G, sobre o acorde G7(b5), grau VII da tonalidade de Ab menor bachiana.

Modos de Menor Melódica
Exemplo 13
Modos de Menor Melódica
Exemplo 14

Construção de Solos de Guitarra: Modos de Menor Melódica – Conclusão

E impossível abranger todas as escalas existentes em apenas uma matéria sobre Modos de Menor Melódica, mas esta lição forma uma boa base para você começar os seus estudos no assunto. Existe ainda uma enorme variedade de outras escalas que se originaram em culturas e épocas diferentes da história. Elas serão abordadas nas próximas matérias publicadas no PortalMúsica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


− 1 = seis