Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica

Olá, sobre a matéria de Construção de Solos de Guitarra, hoje falaremos sobre a Escala Menor Melódica. Disponibilizaremos portanto, vários exemplos e tablaturas dessa escala tão importante para criação de solos.

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica

A alteração ascendente feita na sétima nota da escala menor harmônica é impres­cindível para que se obtenha a nota sensí­vel, que estabiliza melhor a fundamental da tonalidade menor. Porém, com a ele­vação da sétima, um intervalo de segunda aumentada é produzido entre a 6m e a 7M da escala menor harmônica. Esse intervalo era sistematicamente evitado, princi­palmente na música vocal, na qual esse tipo de dissonância melódica dificulta a correta entoação. Por isso, em passagens melódicas ascendentes entre a sexta e sétima nota de uma tonalidade menor, passou a ser comum uma alteração não apenas da sétima, mas também da sexta, a fim de evitar o intervalo aumentado e ainda assim manter a sensível.

Essa estrutura é conhecida como escala menor melódica, que altera ascendentemente a sexta e a sétima nota da escala menor e tem como característica ser a única escala que sobe com uma seqüência intervalar e desce com outra, já que as alterações na sexta e sétima nota não são utilizadas na descida da escala.

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 1

Veja no exemplo 1 como a escala de Cmenor melódi­ca sobe com as notas C, D, Eb, F, G, A4 , B11 e C e desce sem as alterações na sexta e na sétima, resultando na seqüência C, Bb, Ab, G, F, Eb, D e C. Repare como as alterações na ascendente são ocorrentes e não estão na armadura de clave. Os inter­valos utilizados pela menor melódica na ascendente são F-2M-3m-4J-5J-6M-7M, enquanto na descendente os intervalos são os mesmos da escala menor relativa: 8J-7m-6m-5J-4J-3m-2M.

escala menor melódica

 

 

 

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 2

A escala menor melódica, assim como foi feito anteriormente com as demais escalas, pode ser transposta com auxílio do círculo de quintas. O Ex. 2 traz a escala menor melódica seguindo o cír­culo de quintas ascendentes.


 

 

 

 

 

 

 

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 3

O exemplo 3 mostra a escala seguindo o círculo de quintas descendente. Repare que a forma ascendente da escala é sempre diferente da descendente.

 

 

 

 

No estudo da improvisação, é comum a utilização de uma escala semelhante à menor melódica, mas com a sexta e sétima alteradas também na descida. Essa escala é academicamente chamada de menor bachiana, porém, é comum ser tratada como menor melódica por diversos professores e métodos. Isso pode causar alguma confusão termi­nológica e, portanto, é importante ter em mente que você pode encontrar em materiais didáticos duas escalas com D nome de menor melódica: uma é a menor melódica tradicional, que tem a subida diferente da descida; a outra é a escala menor bachiana, freqüentemente chamada de menor melódica.

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 4

Observe no Ex. 4 as notas da escala ascendente de Cmenor melódica (que são as mesmas da menor bachiana) espalhadas pelo braço.


 

 

 

 

 

 

 

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 5

No Ex. 5, como fizemos com as demais escalas, dividimos suas notas em sete padrões de digitação, cada um partindo de uma das notas da escala de C menor melódica na sexta corda. Utilize os padrões da escala menor natural na descendente se quiser o efeito da menor melódica tradicional.







 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica – Exemplo 6

O exemplo 6 contém os acordes montados com as notas da escala ascendente de C menor melódica. Repare que a sexta e a sétima notas elevadas produzem alterações no campo harmônico gerado por ela. Da mesma forma que foi visto nos campos harmônicos anteriores, as tipologias dos acordes produzidos pela menor melódica se repetem em qualquer tonalidade e podem ser transpostos com auxílio do círculo das quintas.

escala menor melódica

 

 

 

 

Portanto, para finalizar esta matéria sobre construção de solos de guitarra, em qualquer tonalidade produzida por uma escala menor melódica, obtemos um acorde menor com sétima maior no grau I, um acorde menor com sétima menor no grau II, um acorde au¬mentado com sétima maior no grau III, dois acordes maiores com sétima menor nos graus IV e V e dois acordes meio-di¬minutos nos graus VI e VII. Em vez de um acorde meio-diminuto, pode ser gerado um acorde maior com quinta diminuta sobre o grau VII, se levarmos em consideração a enarmonização de suas notas.

Construção de Solos de Guitarra: Escala Menor Melódica editado por JP

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


+ 2 = oito